Porque incluímos a Etiópia no nosso roteiro de viagem?

A Etiópia é o país onde foi descoberto o elo mais antigo entre o homem e o macaco. Incrível, não?l!

Foi este o primeiro pensamento o qual nos motivou na escolha da Etiópia como nosso destino de viagem.

Além de possuir um dos cenários mais inóspitos e instigantes de todo o mundo, a Depressão de Danakil, a Etiópia soube absorver de forma pacífica as influências culturais dos povos que por ali passaram. Por lá se encontram uma terceira forma de catolicismo, que é o catolicismo Etíope; tem um dos centros de peregrinação muçulmana que é Harar; berço dos Falashas (judeus Etíopes hoje em grande parte emigrados em Israel) e tribos africanas no vale de Omo. Toda essa bagagem cultural nos instigou a conhecer esse incrível país, e a colocar a Etiópia em nosso roteiro de viagem.

Etiópia

Quanto tempo ficar na Etiópia?

Um roteiro de viagem pela Etiópia merece ao menos 20 dias, tamanha a diversidade de locais para se visitar. Como nós tínhamos somente 9 dias de viagem pelo país, tivemos que optar por um roteiro mais específico e que nos interessava mais; então focamos nosso tempo entre Lalibela e a Depressão de Danakil.

Roteiro de viagem pela Etiópia:

Adis Abeba:

Adis Abeba, a capital, é a porta de entrada no país. Tem o maior mercado da África, “o mercato”, assim chamado pelas frustadas tentativas de colonização italiana.  Dentro de sua gama de atrações, incluímos visitas a 3 pequenos museus, sendo um deles para ver a cópia da ossada da Lucy, visita à catedral ortodoxa, e beber o delicioso café Etíope em TOMOCA coffee.

Com tantos outros lugares interessantes no país e tendo o dia bem aproveitado, um dia é o suficiente para dar uma geral na cidade.

Lalibela:

Lalibela é o principal destino turístico da Etiópia. Interessantíssimo. Sendo que 70% da população etíope é católica, Lalibela é o maior centro de peregrinação. Igrejas esculpidas em monobloco em arenito abaixo da terra, formando um conjunto de 14 igrejas impressionantes, que constituem um Patrimônio Cultural da Humanidade.

Ficamos 2 dias em Lalibela e no segundo dia visitamos um mosteiro encravado na rocha a 6 quilômetros da cidade. Uma opção de passeio, que não fizemos, é uma caminhada pela montanha para visitar outras igrejas encravadas na rocha, mas que segundo nos informaram, naquele momento, a estrada estava bastante comprometida para se aproximar do local. É aconselhável pegar um guia local, para melhor absorver o entorno.

Sábado é o dia do mercado, onde todos as pessoas que vivem nas redondezas se dirigem à cidade para vender seus produtos. Na verdade, a forma da troca comercial praticada é basicamente o escambo. É um mercado exuberante, o povo muito alegre e fica muito curioso com a nossa passagem por lá, cumprimentando e fazendo muita brincadeira.

A cidade tem várias opções de hotelaria e pousadas. Porém existe uma limitação grande de restaurantes, ou mesmo compra de produtos em mercadinhos. O prato nacional é a “injera”, que é um tipo de panqueca com diferentes recheios. O mais popular (e nosso preferido) era o “shiro tagamino”, que é um recheio que parece um pirão de feijão apimentado. Não encontramos frutas e verduras com frequência.

Etiópia roteiro de viagem

Lalibela está a 640 km ao norte da capital Adis Abeba, e a melhor opção para se chegar até lá é voando pela Ethiopian Airlines, com voos diários. Porém, é possível também viajar de ônibus, ou mesmo carro alugado com motorista.

Mekele:

Mekele é a cidade de entrada para a depressão de Danakil. De Lalibela para Mekele, ao norte, fomos de carro, e foi uma viagem maravilhosa pois tivemos a sorte de passar o ano novo Etíope (2010 para o calendário local) “on the road” passando por inúmeras vilas, onde o povo estava em festa total. Homens e mulheres muito bem vestidos e todos na rua fazendo festa.

Depressão de Danakil:

 

Etiópia roteiro de viagem

É no deserto de Danakil, um dos lugares mais inóspito e quentes do planeta, no norte da Etiópia, no chamado Chifre Africano e em cima de uma fenda na crosta terrestre, que fica esta região conhecida como o “inferno na terra”. Uma gigantesca planície a 160m abaixo do nível do mar, salpicada de formações de sal, sulfetos e enxofre, cuja atividade vulcânica é uma das mais maiores de todo o planeta. Isto, unido às altas temperaturas que se pode chegar a 60°C, justificam o porquê do apelido carinhoso do local  ser o que é (inferno na terra). O máximo que pegamos foi 46 graus, o que já foi bastante puxado.

Etiópia roteiro de viagem

A paisagem é deslumbrante e o ponto alto do passeio é a caldeira do vulcão Erta Ale. Chega-se ao acampamento militar na base do vulcão por volta das 5 da tarde, e as 8 da noite inicia-se a subida de 10kms para a boca do vulcão. A subida é de uma inclinação relativamente leve, mas é feita no escuro munido de uma lanterna e muito calor. O problema maior é a velocidade da subida que é quase correndo, uma vez que a visita lá em cima tem que ser feita no escuro para apreciar a beleza. Dorme-se por 3 horas ao relento, e a volta deve ser feita ainda no escuro pois com calor do dia se torna insuportável.

Tenho 61 anos e meu marido 63, e nos consideramos “fit”. Todo o resto do grupo tinha menos que 35 anos, então achei melhor alugar um camelo para fazer as 3 horas de subida (que também não foi fácil). Meu marido, que fez tudo a pé, disse ter sido muito cansativo. A descida preferi fazer a pé, um vez que estava sentindo as 3 horas em cima do camelo.

Este é um dos 4 lugares do mundo onde pode-se observar um lago de lava tão de perto, a 50 metros abaixo da boca do vulcão. Fiquei extasiada; me senti muito pequenininha frente a esta natureza tão exuberante, mas, absolutamente plena e muito, muito feliz!

roteiro viagem etiopia

Este foi sem dúvida o melhor da viagem!

Além do vulcão ativo, outros pontos surreais que compreendem essa viagem são: os lagos ácidos com tons em amarelo e verde, os gêiseres, e o lago Assal – área de extensão de sal, no qual a extração do mineral é a principal atividade econômica dos Afar, povos que ali habitam.

Veja mais: lagos-de-acido-e-vulcao-ativo-formam-paisagem-surrealista-na-etiopia.

Nós optamos pelo tour mais longo de 4 dias, pois não queria apressar a visita. Foi muito interessante, porém exaustivo fisicamente.  A empresa peca em não informar adequadamente as condições da viagem, pois por duas noites dorme-se ao relento, sendo que numa delas num lugar absolutamente inóspito, muito sujo, muito quente e sem nenhuma espécie de banheiro. Ou seja, ”a hospedagem exige adaptabilidade a uma vida primitiva”. Salve-se quem puder!!!

Numa das noites dorme-se numa guest house, num quartão, com vários colchões no chão, banho de canequinha e privada turca…que neste momento achei que estava no paraíso frente ao que passei nas outras noites.

Veja mais: em-danakil-na-etiopia-a-hospedagem-e-sob-as-estrelas-e-nao-ha-banheiro.

Demais destinos turísticos pela Etiópia:

Conversando com outros viajantes, todos mochileiros, todos foram unânimes em dizer que Gondar e Axum (destinos turísticos) foram uma roubada, porém, para quem gosta de hiking, a Siemen´s  mountain parece ser uma boa opção.

Pela limitação de tempo, não pudemos incluir nesta viagem o Omo Valley ao sul do país, na fronteira com o Quênia, que me pareceu bastante interessante.

Veja mais: cinco-boas-razoes-para-conhecer-etiopia

Segurança na Etiópia?

Apesar de ser um país é pobre, em franco crescimento, é um lugar bastante seguro para viajar, onde as diversas religiões convivem de forma harmoniosa, o que é motivo de orgulho dos etíopes. Nas regiões de fronteira com a Eritréia, os tours são seguidos com escolta policial para garantir a segurança dos viajantes.

Como viajar pela Etiópica?

É possível fazer maior parte da viagem de forma independente. Somente a depressão de Danakil deve ser feita com agencia de viagens, pois é impossível fazer por conta própria.

Uma das formas indicadas de viajar pela Etiópia é contratar carro com motorista em alguns lugares. Viajar por terra é a principal forma de se locomover pela Etiópia, mas com estradas precárias, prolonga-se muito o tempo de movimentação pelo país. Nós, como tínhamos pouco tempo disponível, optamos por fazer quase tudo com a agencia de viagem ethiotravelandtours.

Quanto Custa esse Roteiro?

O gasto total destes 9 dias com a ETT ( ethiotravelandtours) foi de 1150,00 dólares por pessoa, incluindo aéreos, hotéis, guias, translado e a depressão de Danakil. Só tivemos de extra algumas refeições.

A Etiópia é um país exótico, distintos de tudo que existe na África, no Oriente Médio, ou na Índia, e ainda começa a caminhar em termos turísticos, especialmente num turismo “upscale”, de opções mais confortáveis para o viajante. Está mais para mochilão mesmo, mas sem dúvida nenhuma para quem quer sair do “beatten track”, ou seja dos destinos super turísticos, e conhecer um lugar autêntico, é um destino imperdível.


Como nós do Habito Mundo conhecemos a Autora: “Na volta ao Brasil de uma de nossas viagem”, resolvi puxar assunto com um casal simpático da fila de embarque. Estava ansiosa para saber quais roteiros as pessoas daquele voo tinham feito, pois digamos que encontrar os viajantes vooando pela Ethiopian Airlines, Addis Adeba – São Paulo renderia boas historias de viagem.

E por sorte encontrei a Debora e seu esposo, e depois disso tivemos a oportunidade de passar um tempo considerável do voo apreendendo como as experiências deles.

A Débora e seu esposo viajam a mais de 30 anos por diversos países e a destinos não tão comuns, sendo a versão mais sofisticada que um viajante pode ser, sabem apreciar a beleza e prazeres deste mundo, mas acima de tudo experienciar vivência culturais autênticas, que lhe permitem habitar este mundo.

Desta forma, o Habito Mundo se sente afortunado em compartilhar seu relato de viagem pela Etiópia.

 

Deixe uma resposta