A famosa Rota Panorâmica a caminho do Kruger, na África do Sul.

rota panorâmica

O Blyde River Canyon é o maior cânion da África do Sul. As atrações em torno do rio Blyde compõem uma rota panorâmica famosa por ter em seu caminho montanhoso, mirantes com paisagens únicas.

Observação: Não confundir o Blyde com o  Fish River Canyon  da Namibia, que  é o maior cânion do continente Africano.

A localização da rota panorâmica fica entre Joanesburgo e o Kruger National Parque, sendo uma boa opção de passeio para àqueles que querem dar “uma quebrada” nos dias de Safári.

Localização:

A rota Panorâmica, que segue ao longo do Blyde River Canyon, pertence a estrada denominada de R532, inicia-se ao norte a partir da R36 e segue ao sul por 72 km em direção a Graskop, com tempo total de percurso de 1 hora sem paradas. A vista mais memorável dos cânions está nesse trecho, e chama-se “The Three Rondavels”. Fora da rota, nas cidades vizinhas e em outras estradas, existem diversas opções de atrações turísticas, citaremos algumas das principais neste artigo.

 

rota panorâmica africa do sul

Como ir:

A melhor forma de se explorar a região do Blyde River Canyon é estando de carro próprio, apesar de que alguns tours que vão ao Kruger também fazem uma parada na Rota Panorâmica.

Em alguns trechos podem ser feitas caminhadas ou trilhas longas, para saber mais acesse: 

Quantos dias ficar:

A Rota Panorâmica em si, você faz em meio dia, mas se quiser conhecer melhor a cidadezinha da região, pode-se passar até duas noites.

Atrações:

A rota é turística principalmente pelo fato de estar perto do Kruger, e portanto atrai uma boa parcela desses viajantes, com inúmeras opções de atividades para se fazer nessa região, tentamos listar algumas:

Iniciando o Trajeto pelo Norte:

Represa do Rio Blyde:

Blydeport Dam: Chega-se de carro até um mirante, no qual você consegue ver alguns morros e o rio, e após percorrer uma trilha curta de cerca de 15 minutos, chega-se até a margem do rio. O lugar é legal, mas na nossa opinião não é um “must do it”:

rota panorâmica africa do sul

 

Echo Cave:

Caverna com formações de estalactites e estalagmites, está localizada na Estrada N 36 a poucos quilômetro da intersecção de início da Rota Panorâmica. Nós não a visitamos por estarmos com limitação de tempo, mas para saber mais informações acesse: echocaves.co.za

A Rota Panorâmica – Estrada N 532

The Three Rondavels:

 

rota panorâmica africa do sul

É a parte mais cênica da rota, onde o visitante consegue ter uma excelente vista de boa parte do Blyde Canyon. Para nós foi a melhor parada desse grupo de atrações.

Chega-se facilmente com o carro, e a partir do estacionamento se faz uma pequena caminhada até os mirantes.

Entrada: 10,00 Rands por carro

Dica: este é o principal ponto da rota e costuma estar sempre lotado, por isso priorize os primeiros horários da manhã.

Lowveld View:

A poucos quilômetros em direção ao sul da The Three Rondavels, a Lowveld View é um mirante menos popular, ou seja, você terá mais exclusividade para apreciar a vista deste lugar. Nós tivemos dificuldade para achar estra atração, portanto seguimos em frente.

Bourke’s Luck Potholes:

São formações rochosas, com cavidades redondas formadas dentro das rochas, onde os exploradores extraíram boa quantidade de ouro. Elas são acessadas por uma trilha de 15 minutos a partir do estacionamento, e o caminho que as percorre é constituído por algumas pontes que compõem parte do cenário.

Não é permitido acessar essas piscinas naturais formadas dentro das rochas.

Eu estava com alta expectativa sobre este lugar, e apensar de nunca ter visto nada parecido, não me impressionei com a atração.

Entrada: Rands 80,00 (para dois adultos e um carro)

Cachoeiras; Berlin e Lisboa:

rota panorâmica africa do sul

Essas duas grandiosas cachoeiras são facilmente acessadas a partir da Rota Panorâmica (N 532). O visitante normalmente tem acesso a um mirante, onde pode ter uma vista completa das quedas da água.

A Cachoeira Berlin tem cerca de 45 metros de queda e a Lisboa 95 metros.

Nós acabamos visitando apenas a Berlin, porém se tiver que escolher apenas uma delas, eu sugiro escolher a com maior queda, a Lisboa.

A estrada N 534 surge como uma alça da Rota Panorâmica, iniciando e terminando na N 532, a poucos quilômetros ao norte da Cidade de Graskop

Essa rota, a N534, contém três atrações: Wonder View, Gods Windows e The Pinnacle, dentre estas, nós optamos por:

God’s Window :

rota panorâmica africa do sul

Acessada por uma trilha de uns 15 minutos a partir do estacionamento, é um mirante para um vale de cerca de 700 metros limitado por duas formações rochosas.

Esta atração faz parte de uma reserva natural, podendo-se encontrar várias espécies de pássaros.

Para nós a vista foi aquém da expectativa, apesar de encontrarmos relatos diferentes pela internet, mas se tiver disponibilidade temporal, vale dar uma passada para construir a sua experiência.

Entrada: Rands 10,00 por carro

Algumas cidades pela região de Mpumalanga, além de serem opções de hospedagem, também são uma atração à parte. Destacamos 3 delas:

Graskop:

ROTA PANORAMICA AFRICA DO SUL

pathfinda.com

Exatamente no final ou início da Rota Panorâmica, a N 532. É a cidade mais turística da região, com várias opções de lojas de artesanatos, hospedagem e restaurantes, e entre eles destaca-se a casa de panquecas (doces e salgadas) Harrie’s Pancakes .

Pilgram’s Rest:

É uma cidade pitoresca a poucos quilômetros de Graskop, acessada por uma estrada sinuosa. A cidade é pequena e parece que parou no tempo, pois remete à época da exploração do ouro na região. Só demos uma passada por lá, e não havia muito movimento, mas é um lugar bem peculiar, com casas e edifícios de madeira e metal.

Scott’s Cafe – é um ambiente bonito e aconchegante, boa opção para o café da manhã e almoço, e também serve panquecas.

Sabie:

Tem um ar mais de cidade normal, e apesar de pequena, é uma boa base para explorar a região e se reabastecer no supermercado antes de ingressar no Kruger. Em Sabie dá para conhecer um pouco mais da rotina de uma pequena cidade do interior do país sul africano.

Foi lá que tivemos nosso jantar mais interessante, no restaurante Wild Fig Tree, que servia vários tipos de carnes de caça, como de crocodilo, avestruz, porco do mato e diferente tipos de antílopes, que foi novidade para nós.

Mais info: conversanttraveller

Turismo de Mpumalanga

Tel.: +27 (0)13 759 5300
E-mail:  info@mtpa.co.za

Conhecer a rota panorâmica é uma boa opção entre dias de safáris para mudar de cenário, porém recomendamos selecionar algumas das atrações para que tenha tempo de aproveitar a paisagem e relaxar. Pois o grande número de atividades da região  confunde um pouco o viajante, o qual acaba tentando conciliar todas elas em um curto espaço de tempo, deixando de aproveitar o momentos e correndo para dar conta de incluir tudo em um dia só.

Eu particularmente acho válido incluir apenas um dia do seu roteiro para vislumbrar o The Three Rondavels, com  no máximo uma ou duas atividades da rota panorâmica e assim aproveitar o restante do dia para relaxar em uma das cidades da rota. E não não trocaríamos outro dia de safári para conhecer melhor a região.

Gostou dos nossos artigos? Deixe seu comentário 🙂 

 

Deixe uma resposta