Vale do Capão, o vilarejo Hippie da Chapada Diamantina

Roteiro Chapada Diamantina – Parte 2

imagens de Nathi Fracassi

O que fazer – Base no Vale do Capão:

O nome oficial do distrito é Caeté-Açu, mas todo mundo conhece como Vale do Capão (ou simplesmente Capão). É um vilarejo no qual muitas pessoas o procuram para relaxar e/ou para estar mais em contato com a natureza, também para quem está em busca de autoconhecimento, espiritualidade, contemplação e/ou uma vida mais sustentável. Possui diversas pousadas espalhadas no meio da natureza, oferecendo uma atmosfera bem “exclusiva”.

O vale do Capão está ao sul de Lençóis, porém o acesso de carro se dá por um caminho razoavelmente longo, uma vez que você tem que ir até Palmeiras estrada (asfaltada), e depois seguir para o Capão em estrada de terra. O tempo médio entre elas é realmente de 1h50min, como estima o oráculo (Google).

Principais Atração:

  • Travessia do Pati
  • Trilha para Cachoeira da Fumaça por Cima
  • Trilha para Cachoeira da Fumaça por Baixo
  • Cachoeira da Angélica
  • Cachoeira da Purificação
  • Cachoeira das Rodas
  • Poço do Gavião
  • Cachoeira do Rio Preto.
  • Cachoeira do Riachinho – a prainha de Capão
  • Morrão

Obs: O Vale do Pati é um capítulo à parte. Do vale do capão que se inicia a trilha para a travessia “clássica” do vale do Pati, que é entrando no Vale do Pati pelo Capão (povoado do Bomba) e saindo pela Ladeira do Império, em Andaraí.

Nossa experiência:

Utilizamos o Vale do Capão como base para explorarmos a Trilha da Cachoeira da Fumaça (Por cima), e também para início da travessia pelo Vale do Pati, saindo do povoado do Bomba.

Tivemos bem pouco tempo para explorar o vilarejo do Vale do Capão, por que tínhamos o tempo bem contado – apena 1 dia – e queríamos fazer a trilha para a cachoeira da fumaça, e ir à Conceição dos Gatos provar a famosa galinhada servida nos restaurantes e pousadas de lá. Tiramos essa dica MARAVILHOSA do blog A viajadora, e provamos a mesma galinhada que eles no Restaurante/Pousada Boa Vista. Recomendadíssimo, a melhor galinhada que já comi – e olha que nem sou tão fã de galinhada – extremamente bem temperada e servida. Além da comida maravilhosa, o restaurante tem uma vista privilegiada para uma das cachoeiras da região, a qual é possível fazer uma trilha curta e se refrescar nela enquanto espera seu prato ficar pronto!

Mas voltando ao Capão… no pouco tempo que tivemos no vilarejo já deu para perceber a diferença de atmosfera se comparada a Lençóis. Capão é muito mais cool, mais charmoso e mais hippie – não tanto como havíamos imaginado (talvez fosse a 10 anos atrás), mas ainda assim é um local que vale a pena visitar.

No dia que pernoitamos (29/10/16), tinha um festival de reggae – o Segundo Festival de Reggae do Vale do Capão – e o vilarejo estava completamente lotado de pessoas e carros, e o festival foi bem animado, tanto que durou até o amanhecer do outro dia. Link do festival:

Trilha da Cachoeira da Fumaça Por cima:

É uma trilha de 12km de extensão (6km ida, 6km volta) aproximadamente, de 4 horas de duração (tempo total), cujo ponto final é vista do vale da Cachoeira da Fumaça. Possui esse nome porque a queda d’água é de 340m, e na parte final da sua queda a corrente de água evapora, formando um grande véu de fumaça ascendente.

Existem diversos relatos de viagem sobre a Trilha da Cachoeira da Fumaça por cima, e depois de lê-los, nos encorajamos a fazer a trilha sem a contratação de nenhum guia. E foi supertranquilo, já que a trilha é razoavelmente bem demarcada, e sempre existe um fluxo GRANDE de pessoas subindo/descendo por ela que podem te ajudar, caso você se perca – mesmo em “baixa temporada”, que foi a época em que estivemos lá

Dos blogs sobre esta trilha, listo os que mais nos ajudaram a entender como percorrê-la, e o que esperar:

oscacadoresdecachoeiras 

amochilaeomundo

wikiloc

Infelizmente no período em que visitamos a Chapada Diamantina (Final de outubro), não havia quase nada de água caindo pelos paredões que formam a Cachoeira da Fumaça, já que neste período chove-se pouco. Entretanto, tornou a realização da trilha mais fácil de ser feita, por não haver muitos obstáculos e/ou riachos para se cruzar, não havendo necessidade de se retirar os calçados, ou algo do gênero.

Mas mesmo nesse período de seca havia uma aglomeração de água pouco antes do mirante clássico da cachoeira, na qual fizemos um picnic e aproveitamos para “refrescar os pés” no poço formado entre as rochas.

No final das contas, a trilha da cachoeira da fumaça serviu de preparação– uma espécie de teste físico – para avaliarmos nossa performance para encarar a trilha de travessia do Vale do Pati (e nos saímos muito bem, obrigado Rsrs), já que fizemos o percurso de ida e volta num tempo médio de 3h30. O trajeto é bem bacana, repleto de paisagens e vegetações bonitas, e a vista que se tem do mirante da cachoeira da fumaça é bem imponente, mas não deu para disfarçar o nosso desapontamento ao não avistar água caindo pelos paredões de 340m.

 

Sugestões e Dicas:

Caso esteja na época seca – especialmente entre agosto até outubro – e esteja em seus planos realizar a travessia pelo Vale do Pati, e também viajando com tempo limitado, não recomendamos fazer a trilha pela Cachoeira da Fumaça por cima, exceto se for para testar o seu vigor físico ante de encarar o Vale do Pati.

Digo isto porque as paisagens encontradas no Vale do Pati – mesmo no período mais seco – são absolutamente surreais, mais completas, vibrantes que as encontradas pela Trilha da Cachoeira da Fumaça por cima. Sugiro realmente que utilize este seu dia que iria explorar a cachoeira da Fumaça para ficar a mais no Vale do Pati, que para mim foi um dos lugares mais incríveis que já fui na vida.

Se for fazer a Trilha da Cachoeira da Fumaça, estacione o seu carro próximo ao começo da trilha (próximo a igrejinha e do banheiro público), que aí você ganha tempo (e fôlego) e flexibilidade para explorar a região no mesmo dia da realização da trilha. O ideal é subir o mais cedo possível, que aí se evita o encontro com as excursões que chegam de Lençóis para percorrer a trilha.

Não deixe de provar o pastel de palmito de Jaca, que só é feito aqui no Capão, e nem de esticar a viagem até o vilarejo de conceição dos gatos para provar a famosa galinhada da região. Recomendo ir a Conceição dos Gatos depois do retorno da trilha da Cachoeira da Fumaça.

Conceição dos gatos fica a 10 km ao norte do Vale do Capão (20 min de carro).

Veja mais sobre no Guia da Chapada, ótimas dicas do que fazer no Capão.

 

 

Deixe uma resposta