Sugestão de Roteiro de Viagem à Chapada Diamantina:

roteiro de viagem chapada diamantina
Morro do Pai Inácio

A Chapada Diamantina é um roteiro de viagem absolutamente imperdível, indicada para quem gosta de estar em contato com a natureza e encontrar paisagens deslumbrantes, arrisco a dizer que é uma dos cenários mais belos do Brasil e dentre todos os países que visitamos. Por lá, têm opções para os que querem gastar pouco durante seu roteiro de viagem, e também para os que dinheiro não é um problema quando se trata de estar férias, folgas e/ou aproveitando seu tempo livre. Ou seja, é um dos poucos lugares no mundo que consegue impressionar a grande maioria dos seus visitantes, sendo artigo raro conhecer alguém que foi para a Chapada e não gostou.

Para nós, foi uma experiência única ter incluído 10 dias no nosso roteiro de viagem por esse paraíso, já que foram muitos momentos de reflexão e superação  com a mamãe natureza, que, certamente, iremos levar conosco pela vida toda. Difícil precisar o tamanho da emoção em fazer a travessia do Pati, ou prender o fôlego ao avistar a paisagem do topo do Pai Inácio, ou as belezas estonteantes de se banhar nas cachoeiras do Buracão e Fumacinha. A beleza, a riqueza cultura/histórica e o charme dos vilarejos também são um capítulo à parte, e o principal: a simpatia do povo local, já acostumados com a “invasão” turística na região, e nem por isso carecem de disposição para ajudar e ensinar os viajantes.

E o que dizer da culinária local? Comida baiana já é um atrativo por si só para nós (Moqueca baiana, Acarajé, bobó de camarão, vatapá, etc.), mas nesta região existem iguarias que superaram muito as nossas expectativas. Nos dá água na boca toda vez que lembramos dos pratos feitos de Jaca (tanto a moqueca, como o pastel de palmito), ou o godó de banana, sem falar na galinhada comida no vilarejo de Conceição dos gatos*, ou todas as refeições feitas durante a travessia do Pati.

Atrações não faltam para se eleger a chapada diamantina como seu próximo roteiro de viagem. Não perca mais tempo! E depois venha aqui nos contar se conseguimos ajuda-los a desenvolver vossas experiências.

Quantos dias ficar:

Existem inúmeras opções de roteiros a serem feitos para  explorar a chapada diamantina, e precisar um número exato de dias para se aproveitar as diversas atrações soa bastante pretensioso e ofensivo, até porque existem diversos estilos de viagem possíveis a serem feitos pela Chapada Diamantina.

Qual a melhor época para viajar para a Chapada Diamantina?

Porém, para quem deseja conhecer bem a região, 10 dias são o mínimo de tempo e ainda assim terá que cortar algumas atrações do seu roteiro de viagem.

A única certeza é a de que uma viagem pela Chapada consegue agradar a Gregos e Troianos, tamanha é sua diversidade de atrações, e também pelo fato de praticamente não existir uma baixa temporada durante o ano, pois sempre uma das atrações está em evidência de acordo com a variação do clima.

 

Roteiro 10 dias pela Chapada Diamantina para época da seca:

Tenha sempre em mente que o roteiro pré-estabelecido pode (muito provavelmente) sofrer alterações no decorrer da viagem, portanto é sempre importante tentar prever algumas folgas e intervalos entre atrações, especialmente as que envolvem deslocamentos e estão sujeitas a imprevistos. Existe ainda o fato de você se decepcionar com alguma atração, que o faça repensar a validade de continuar em outras similares, ou ainda o tempo de permanência em algum lugar.

O nosso roteiro é um grande exemplo de roteiro que foi se adaptando no meio da viagem, por isso também ele ficou bastante corrido, porque não quisemos abrir mão de conhecer a Cachoeira da Fumaça e Fumacinha – ambas não estavam nos nossos planos inicialmente, por falta de tempo. Mas como fizemos a travessia do Pati num intervalo menor do que esperávamos – quase atletas Rsrs – acabamos ganhando dois turnos de um dia, e aí tivemos que improvisar.

Analisando o que fizemos com a experiência de quem já fez, tendo como premissa gostos similares por aventura e atividade outdoor, condicionamento físico razoável, e quantidade de tempo parecida, o roteiro sugerido pelo Habito Mundo, para 10 dias, seria:

 

1º Dia) Salvador Como chegar na Chapada Diamantina, qual a melhor opção?

2º Dia) Salvador -> Lençóis. Ida a Poço do Diabo, e pôr do sol no Morro Pai Inácio. Curtir a vida noturna de Lençóis.

Veja mais: Lençóis a ”capital” da Capada Diamantina

3º Dia) Visitar a Gruta da Lapa Doce (ou Torrinha), depois curtir na Fazenda da Pratinha até metade da tarde. Seguir viagem até Conceição dos Gatos para a famosa galinhada. E pernoitar no Vale do Capão.

  • Incluir Cachoeira da Fumaça se ela estiver com água. Pois na época da Seca  o Visual não nos impressionou.

Veja Mais:Vale do Capão, o vilarejo Hippie da Chapada Diamantina.

4º Dia) Iniciar a Trilha de 4 dias pelo Vale do Pati, com saída por Andaraí. Neste primeiro dia de trilha você irá caminhar pelos Gerais do Vieira, subir o Quebra Bunda, depois caminhar pelo Gerais do Rio Preto, descer a Rampa, e seguir sentido leste até a casa do Sr Wilson.

Veja Mais: Guia para Planejar sua trilha pelo Vale do Pati

5º Dia) Subir o morro do Castelo, depois partir para Cachoeira dos Funil, e pernoitar na Igrejinha.

6º Dia) Ir para o Cachoeirão por cima – se estiver seco – descer para o Cachoeirão por baixo por uma trilha íngreme no Canyon do Cachoeirão, e pernoitar na casa do Sr. Eduardo.

7º Dia ) Subir a Ladeira do Império, e seguir pela Serra do Ramalho até chegar em Andaraí. Pegar o carro, e seguir para Ibicoara.

8º Dia)  Ibicoara, fazer a trilha da Cachoeira do Buracão. Voltar para Ibicoara para pernoite.

Veja Mais: Vá a Ibicoara, na Chapada Diamantina, e veja a melhor versão do futuro da humanidade.

9º Dia) Fazer a Trilha da Fumacinha, e retornar para Ibicoara (ou se tiver pique até Mucugê).

10º Dia) Seguir viagem até Poço Azul, depois Poço Encantado – aproveitar para almoçar pela região – e seguir viagem até Salvador.

Veja Mais: Veja porque Mucugê deve entrar no seu roteiro de viagem pela Chapada Diamantina!

Xique-Xique de Igatu conhecida por ser o “Machu Picchu da Chapada”

O roteiro acima seria uma versão otimizada da realização da Chapada de Norte a Sul (Sentido Lençóis – Ibicoara). Mas este roteiro também é passível de ser feito no sentido contrário, iniciando pelo Sul (Ibicoara), e terminando em Lençóis ou em seus arredores, lembrando de adaptar o início da trilha pelo Vale do Pati por Andaraí até o Vale do Capão.

 

 

 

 

Deixe uma resposta