Damaraland: O segredo escondido da Namíbia

Entre a Costa do Esqueleto (Skeleton Coast) e o centro da Namíbia, encontra-se Damaraland, uma região de deserto, na qual surgem montanhas e platôs, habitat dos povos Himbas, e da vida selvagem que ultrapassa as cercas dos parques nacionais. Esta região também conserva uma preciosidade da história da humanidade: pinturas rupestres feitas a mais de 10 mil anos atrás. Este conjunto de fatores dá ao viajante a sensação da estar vivendo na África Antiga, quando os animais circulavam livremente pelo território.

safaribookings

 

Damaraland é uma das regiões mais autênticas restantes na África para deslumbrar a vida Selvagem. É o deserto com maior biodiversidade no mundo! Por lá, os viajantes podem encontrar elefantes, rinocerontes pretos, leões, girafas, zebras, órix, entre outros animais, totalmente adaptados à vida no deserto. Mas não precisa ficar assustado e/ou tão empolgado com essa informação, já que não é tão fácil avistá-los como em um safári, e se encontrar algum felino (Leão, Chita ou Leopardo) poderá se considerar ganhador da mega sena.

Como ir:

Para ter acesso a essa região é preciso estar de carro –pode ser um tour privativo – sendo perfeitamente possível explorá-la com um carro normal. Uma parada em Damaraland é um conveniente pitstop – uma parada estratégica – para quem vai explorar a Costa do esqueleto saindo/vindo do Etosha, ou entre Swakopmund e o Etosha.

damaraland namibia

Quantos dias:

Para quem tiver tempo, esta região possui atrações para dois dias ou mais, caso esteja com um roteiro mais corrido, o visual da estrada já recompensa com uma curta parada em um dos pontos que lhe interessar e for pertinente ao seu roteiro. Abaixo listamos e detalhamos alguns desses pontos de interesse.

Os pontos de interesse:

The Brandberg: é uma impressiva montanha de granito, com seu pico mais alto a 2.573m, e possui coloração avermelhada conforme a iluminação do dia. Além de compor uma paisagem majestosa, The Brandberg abriga em suas paredes 879 sítios com pinturas rupestres, algumas com estimativa de mais de 10 mil anos. É considerado patrimônio histórico da humanidade pela Unesco.

 

Aos pés da montanha de Brandberg pode-se encontrar uma das pinturas mais formosas da região, chamada de White Lady. A montanha faz parte de uma reserva, e para se ter acesso é preciso pagar N$ 50 por pessoa, mais N$ 20 do carro. As visitas ao sítio aonde encontram-se a pintura intitulada de White Lady, está a cerca de 30 minutos de caminhada guiadas, por um guia local, desde o estacionamento.

Brandberg damaraland namibia

Como se não bastasse a herança histórica e a paisagem deslumbrante de Brandberg, esta é uma das regiões preferidas dos elefantes do deserto, que inclusive circulam pela montanha. Nós nos hospedamos no Lodge White Lady, localizado aos pés de Brandberg, e nas paredes do lugar havia instruções de como se portar se você se deparasse com um elefante, pois eles têm livre acesso pela região. Mas é bom conter os ânimos, porque, infelizmente, não é tão simples encontrá-los, por isso o lugar oferece passeios guiados para visualizar os animais.

damarland namibia
wild-wings-safaris.com

O Preço das Diárias foi de N$ 400 por pessoa para se hospedar em tendas, com camas e banheiro privativo. Para Camping, o valor é N$ 120 por pessoa, mais N$ 30 do carro. O lodge conta com infraestrutura de piscina e um excelente restaurante.

brandberg damarland namibia
White Lady Lodge

www.namibian.org

http://www.brandbergrestcamp.com/

Twyfelfontein:

É um conjunto de formação rochosas situado na região de the Kunene, fica ao norte de Brandberg, e também abriga um grande grupo de pinturas rupestres. É outro lugar que foi considerado pela UNESCO, Patrimônio Histórico da Humanidade. Veja mais em drieverywhere

Entre os pontos de interesse na região destaca-se: Burnt Mountain, Organ Pipes, Petrified Forest etc.

Também nesta região, perto da cidade de Khórixas, existem algumas tribos de Himbas que recebem a visita de turistas. Os guias, descendentes de Himbas, introduzem os viajantes ao sistema social e cultural da Tribo, com visitas às casas das pessoas. Para saber mais sobre a localização das tribos, busque informação em algum lodge da região.

Mais sobre os Himbas: emalgumlugardomundo

www.namibian.org-twyfelfontein

Como foi:

Em nosso roteiro na Namíbia, saindo do parque Etosha, seguindo pela C35, com destino final na cidade de Henties Bay na costa, incluímos uma parada em Brandberg. Como nosso tempo era limitado, dormimos uma noite no Lodge White Lady, e visitamos Brandberd e as pinturas rupestres em 3 horas, seguindo viagem para a costa, com uma parada em uma tribo Himba na beira da estrada, que ficam um pouco antes da cidade de Uis. Esta última também foi um ponto de parada para abastecimento (lembre-se de sempre encher o tanque quando encontrar uma cidade/vilarejo com posto de combustível). A paisagem da montanha de Brandberg é deslumbrante, e é realmente incrível estar diante de tanta história retratadas nas rochas. Não tivemos oportunidade de explorar mais a região e ter a chance de encontrar os animais adaptados ao deserto.

brandberg namibia damaraland

O encontro com os Himbas: desde as primeiras pesquisas sobre a Namíbia eu tive o desejo de conhecer mais sobre o povo que ali residia. Vi as fotos dos Himbas com fascínio e desejo de ter uma interação com essas pessoas, e saber o que pensavam e como viviam. Sabia que poderia encontrá-los pela região de Damaraland, porém sem encontrar a localização específica de uma das tribos.

pixabay.com

Em Brandberg, pedimos informações para um guia local, e este nos disse que os encontraríamos a caminho de Uis, na beira da estrada. E dito e feito: as pessoas Himbas estava em barraquinhas vendendo artesanato, um pouco antes da cidade de Uis. Quando descemos do carro e nos aproximamos, as meninas e mulheres encheram meus braços com pulseiras, e se iniciou uma forte pressão para que comprássemos seus produtos, se criando uma atmosfera bastante sufocante por um tempo. A minha intenção não era, à priori, comprar artesanato, e sim conhecê-las melhor, mas para elas aquela era a oportunidade de faturar algum dinheiro, sem interesse em manter outro tipo de relação.

Ficamos um pouco constrangidos com o encontro, já que as crianças nos pediam alimentos, dizendo que tinham fome, e sede. Demos tudo de água e comida que tínhamos no carro, até os doces, mesmo contra recomendação, pois os Himbas não estão acostumados com açúcar em sua dieta alimentar, além de não possuírem os mesmos hábitos que nós de limpar os dentes. Mas o pedido de comida feito pelas crianças falou mais alto que qualquer pensamento racional. Ficamos um pouco desconcertados com aquela parada, porque acreditamos que aquele tipo de interação com o Himbas, além de sacá-los de suas atividades cotidianas, não trazem qualquer desenvolvimento econômico, social ou cultural para a vida daquelas pessoas.

Só no final do encontro, conseguimos brincar um pouco com as crianças, quando elas pediram para tirar fotos com as nossas câmeras (que até então não haviam sido usadas). E foi nesse momento que conseguimos dar e receber um pouco de carinho dos pequenos, que vinham ao nosso encontro e não queriam mais deixar a gente ir embora.

damaraland namibia
Créditos: de uma Criança Himba, com as lentes de Rafael Lanna Photographs

Nossos Amigos que seguiram outra direção em Damaraland, para a região de Twyfelfontein, perto da cidade de Khórixas tiveram outra experiência, muito mais interessante que a nossa, pois visitaram uma tribo de Himbas na qual o visitante conhece realmente o dia a dia da vila e seus costumes, contando com um guia local, que serve também como intérprete, o qual permite um tipo de interação mais positiva entre nossas culturas.

Como sugerimos:

Se tivéssemos pesquisado mais sobre essa viagem, teríamos feito nosso roteiro de outra forma, conforme indicamos aos futuros viajantes a Namíbia.

 

damaraland namibia

Do parque Etosha, ou vice-versa, seguiríamos caminho passando por Khórixas e pegaríamos a  C39 – estrada que dá acesso à região de Twyfelfontein, entre outros vários sítios com formações rochosas. Nesta região também teríamos chance de conhecer a estrutura de uma tribo Himba. Seguindo pela C39 em direção a costa, entraríamos no parque da Costa do Esqueleto (Skeleton Coast.)

O parque da Costa do Esqueleto (Skeleton Coast) pode ser visitado em um dia, entrando por Torra Bay e seguindo em direção ao sul para Henties Bay, ou Swakopmund. Para dormir no parque será preciso reservar com antecedência, pois a área destinada a camping fica aberta apenas em alguns meses do ano, (nas férias de final de ano).

damaraland namibia
Rafael Lanna Photographs/

 

4 thoughts on “Damaraland: O segredo escondido da Namíbia

Deixe uma resposta