Rota Jardim, Vale a pena incluir no seu roteiro?

Rota Jardim ou Garden Route é um dos principais destinos turísticos da África do Sul. Abrange as cidades e atrações que estão ao longo da Rodovia N2, estrada que liga a Cidade do Cabo a Porto Elisabete.

 

geckotours

Para saber mais: Como viajar pela África do Sul – Transporte

Lemos bastante material antes de realizar nossa viagem, e a maioria dos blogs relatavam uma rota paradisíaca, com sugestões de roteiro de 7 dias, para conhecer bem esse trecho. Pois fizemos em 5 dias, e dividimos da seguinte forma:

Roteiro Rota Jardim:

  • 2 Noites – Knysna
  • 1 Noite – Stormriver (para acesso ao Parque Nacional Tsitsikama)
  • 1 Noite – Jeffrey Bay
  • 1 Noite –  Port Elizabeth

Os destinos acima são apenas alguns, dentre outros que são destaque nessa rota: Encontramos bastante informação no site africanizese que nos ajudou a entender melhor a Rota Jardim.

Observação: Os valores usados nesse artigos fazem referência a moeda Sul-Africana: Rands (ZAR) 1 Real = (+-) 4 Rands

De acordo com nossa experiência na Rota Jardim responderemos a pergunta:

Rota Jardim, Vale a pena incluir no seu roteiro?

Tivemos um misto de decepção por alguns destinos da Rota Jardim, enquanto que outros atenderam as nossas expectativas. Considerando também que viajamos no inverno, e que era muito frio para qualquer tipo de banho de mar/cachoeira, achamos que ficamos muito tempo na Rota Jardim. A seguir listamos o que gostamos e não gostamos do nosso roteiro.

Do que gostamos:

Bungee Jump na ponte Bloukrans Bridge:

Administrado pela Face Adrenalin, é o Bungee Jump de ponte mais alto do mundo com 216 metros, 3º maior do mundo em altura total, e destaca-se pela segurança, sem nunca ter tido qualquer tipo de acidente.  Além da adrenalina do pulo, sua localização é privilegiada pelo lindo visual! Mesmo se você não for pular, vale dar uma parada para ver.

Pular do Bungee Jump estava nos nossos planos, mas só o Sergei seguiu a frente e com certeza foi uma das emoções mais fortes já vividas por ele. O grande barato desta empresa Face Adrenalin, é que eles patentearam o sistema de amortecimento de queda, que suaviza o efeito estilingue do salto, que apesar da altura, faz o saltador não sentir aquele tranco ao ricochetear durante a aventura, tendo apenas a sensação prazerosa da queda livre e a descarga de Adrenalina.

A parte mais desafiadora (sem dúvidas) é caminhada pelo corredor do início da ponte até a chegada ao ponto de salto, que apesar da vista panorâmica do cânion sobre o mar, é um pouco assustador.

Outra enorme vantagem é que, além da segurança, o custo é um dos melhores do mundo comparados a outros de mesmo nível de experiência:

1 Pulo: Rands 950,00  Fotos e Vídeo: Rands 250,00

Se você não tiver coragem de pular, pode acompanhar seus amigos na caminhada pelo “corredor da morte” por um valor de Rands 150,00.

Parque Nacional Garden Route Tsitsikamma:

É um lugar excelente para passar o dia, com algumas opções de trilha pela costa. Uma delas, por cerca de 2 horas ida e volta até uma cachoeira que vale o visual ao longo da trilha.

Outra trilha mais curta que passa por pontes suspensas, cerca de 40 minutos, e se tiver folego extra vale subir ao morro ao final da trilha para ter uma vista do todo, no lookout point de todo o parque, que proporciona uma linda vista..

Neste parque também é possível ficar hospedado, ou acampar, e sua infraestrutura conta com restaurante, lojinha e aluguel de caiaque.

Entrada: Rands 196,00 por pessoa

Stormriver:

É uma pequena cidade com algumas opções de hospedagem e restaurantes, e está bem próximo ao Bungee Jump, e ao Tsitsikamma, além de oferecer tirolesas (Ziplines) e Arvorismo. Consideramos uma boa base para quem deseja incluir essas atividades no seu roteiro.

Opções de hospedagem pelo Booking, nós nos hospedamos e recomendamos como uma opção tube-n-axe-backpackers.

Existem duas empresas que fazem ZipLine por lá: a mais conhecida é Canopytour, que custa cerca de Rands 595,00 por pessoa, e a tsitsikammaadventure, a qual optamos pelo valor Rands 375,00 por pessoa. A experiência foi divertida, mas não é um must do it.

Addo Elephante Park:

É uma ótima oportunidade de encontrar muitos elefantes, e vale a pena visitá-lo para quem for até Porto Elizabete, principalmente para os que não incluíram o Kruger no seu roteiro.

Entrada ao Parque custa Rands 248,oo por pessoa.

No Addo não tem girafas, e existem poucos felinos, ou seja, terá bastante sorte se encontrar algum deles realizando o safári por lá.

Opções de estadia dentro do parque deve ser reservada pelo site dos parques nacionais Sanparks e nos arredores do parque pelo Booking. Dentro do Parque existem posto de combustível e restaurante.

Como fizemos: Nós fizemos a visita apenas durante o dia e dormimos em Porto Elizabete, pois tínhamos voo marcado para o próximo dia e, apesar de não termos visto nenhum felino, achamos válida a experiência, especialmente porque não havíamos ido ainda par ao Kruger.

Safári na África do Sul, o Parque Nacional do Kruger é a forma mais barata de se fazer um Safári no Mundo!

Do que não gostamos:

Jeffreys Bay:

Não achamos nada de diferente para fazer por lá,  consideramos apenas uma boa opção para quem surfa.

rota jardim africa do sul

Knysna:

É famosa pelas ostras, tem um bayfront, e algumas vistas bonitas da costa. Mas nada de excepcional. Incluímos 2 dois dessa cidade no nosso roteiro, esperando algo a mais e nos decepcionamos. Se pudesse refazer esse trecho, teria apenas incluído uma parada para almoço em Knysna, cuja recomendação de restaurante seria o 34 south, que apensar de ser turístico, tem uma boa atmosfera.

Ou seja, se nós pudéssemos repensar esse roteiro, teríamos incluindo 2 dias em RiverStorm, suficiente para explorar a parte do Parque Tsitsikamma, e também para o Bungee Jumpe. Excluiria ir até o Addo, porque tivemos experiência similar no Kruger.

Considere os artigos a seguir para construir seu roteiro, pois eles tiveram mais afinidade com a Rota Jardim do que nosso grupo de viajantes:

E o que nós faríamos com os dias extras?

Excluindo 3 dias de viagem pela estrada N2, a famosa Rota Jardim , nós consideraríamos explorar melhor tanto as regiões de vinícolas menos conhecidas, com ao longo da Rota 62, que possui várias cidadezinhas charmosas e com menos apelo turístico:

rota jardim africa do sul
route62-info

A rota 62 é conhecida como a estrada mais longa de vinícolas do mundo, também se inicia na Cidade do Cabo e segue até Porto Elizabete, oferecendo aos viajantes um caminho alternativa a N2, a Rota Jardim.

Veja mais sobre: 

Cidade do Cabo – África do Sul
10 dicas para conhecer uma das melhores regiões vinícolas do Mundo!

Nós também viajamos em partes por essa estrada, a Rota 62, e encontramos lindos cenários de vales, e passagens por entre as montanhas. Fizemos uma parada em Calitzdorp, na vinícola De Krans Wines.

Com mais tempo consideraríamos explorar o Karoo National Park, as cidades de Oudtshoorn e Prince Albert.

 

Gostou do nosso artigo? Deixe um recado, e compartilhe com seus amigos pelo Facebook:)

Deixe uma resposta